ratueia.png

Desvendando as Armadilhas das Bolsas de Estudo no Exterior
Por Eleusa Lourenzoni

A sedução das bolsas de estudos no exterior muitas vezes oculta uma verdade amarga: As vezes o valor dessas oportunidades não condiz com a qualidade do curso ou da escola. Enquanto os olhos dos aspirantes a bailarinos brilham com a perspectiva de dançar em terras distantes, é essencial olhar além do véu do encantamento e ponderar sobre os custos extras que acompanham essa jornada.

O custo de uma bolsa de estudos vai muito além das taxas escolares ou das mensalidades. É necessário considerar os gastos com passagens aéreas, hospedagem, alimentação e outros custos adicionais que podem sobrecarregar os bolsistas e suas famílias. Muitas vezes, o sonho de estudar no exterior se transforma em um fardo financeiro insustentável, deixando os alunos presos em uma teia de dívidas e incertezas quanto ao futuro...

Além disso, há uma armadilha ainda mais sutil que espreita por trás das promessas reluzentes das bolsas de estudo no exterior: a suposição de que a aulas e oportunidades é sempre maior do outro lado. No entanto, essa mentalidade pode obscurecer a visão dos jovens talentos para as oportunidades de excelência que existem em seu próprio país. 

O Brasil não é carente de escolas de alta qualidade. Ao contrário, o país vem se desenvolvendo a passos largos e abriga uma rica tradição artística, vide tantas estrelas do Brasil que brilham ou brilharam no exterior e, o país abriga uma variedade de instituições renomadas que oferecem um ensino de classe mundial.  Desde academias reconhecidas internacionalmente até escolas que se destacam pela excelência de seus professores e currículos, há uma gama diversificada de opções para os aspirantes a bailarinos que buscam aprimorar suas habilidades no cenário nacional.

No entanto, é importante reconhecer que as oportunidades de trabalho no campo da dança no Brasil podem ser limitadas. Companhias de dança são poucas e, muitas vezes, disputadas por um grande número de talentos locais. Nesse sentido, estudar no exterior pode representar uma vantagem estratégica, encurtando o caminho para encontrar uma oportunidade de trabalho em uma indústria mais ampla e diversificada.

Portanto, antes de se lançar de cabeça em uma bolsa de estudos no exterior, é fundamental questionar se essa oportunidade realmente oferece um valor agregado significativo em comparação com as opções disponíveis localmente. Afinal, o prestígio de uma escola não se mede apenas pelo seu nome ou pela sua localização geográfica, mas sim pela qualidade do ensino e pelo sucesso de seus ex-alunos.

É hora de desvendar os mitos que envolvem as bolsas de estudo no exterior e reconhecer que a excelência no mundo da dança não conhece fronteiras. O verdadeiro talento e dedicação podem florescer em qualquer lugar, desde que haja acesso a um ensino de qualidade e oportunidades de desenvolvimento. Portanto, que os jovens bailarinos brasileiros se lembrem sempre de olhar para dentro de seu próprio país em busca do caminho que os levará ao sucesso no palco global do ballet.