"Um tom para todos nós"

blog-image
Compartilhe

"Um tom para todos nós" espetáculo do  Êxtase Cia de Dança chega a BH 

O espetáculo “Um Tom para Todos Nós, do Êxtase Cia de Dança, chega em BH para fazer duas apresentações na Virada Cultural. Sediado em Viçosa, MG, o grupo integra o Núcleo de Arte e Dança, dirigido por Patrícia Lima há quase 40 anos. Uma historia de resistência na arte e um projeto pioneiro na região da zona da mata mineira, responsável por formar vários bailarinos e professores. 

O grupo chega a capital mineira para se apresentar na Virada Cultural. Um tom para todos nós, terá duas apresentações gratuitas.  Dia 20 de julho, sábado, às 21:40 e às 23h30, no Espaço Rio de Janeiro, entre Igreja São José e a Praça Sete.

Rosa Antuña, que assina a direção artística e coreografia, criou "Um Tom Para Todos Nós" em 2009, inspirada pelo disco "Livro", de Caetano Veloso. Dez anos depois foi convidada a revisitar o trabalho e fez uma releitura aprofundando questões sobre nossa ancestralidade africana e o protagonismo feminino.

 Antuña enfatiza ainda que o Brasil vive um momento de valiosas discussões sobre a diversidade cultural e é sempre importante lembrar que em nossa sociedade precisamos cultivar o respeito às diferenças. Essa diversidade está presente no grupo com a participação de bailarinos veteranos e uma nova geração do Êxtase. No elenco Lidiane Jacinto, Cleison Lana, Rafael Tiko, Rayane Nobre, Danúbia Dias, Bianca Mabiny, Lorena Lelis, Igor Xisto e Gustavo Souza, com direção geral de Patrícia Lima.

O trabalho revela um Brasil de cores, luta, ironia e intensidade. Rosa comenta sobre um dos solos, da música Navio Negreiro e a participação da bailarina Lidiane Jacinto, há 10 anos no grupo "Lidiane traz a expressão do corpo da mulher negra na dança contemporânea, fazendo a ponte entre sua ancestralidade e os dias atuais", ressalta Rosa.

O espetáculo “Um tom para todos nós” do Êxtase Cia de Dança, leva aos palcos a brasilidade. 10 anos depois o espetáculo continua atual. “Sempre busquei essas questões e acho muito legal agora isso ter despertado com força total na consciência na sociedade”, completa a coreógrafa.

A turnê passará pelas cidades de  Cajuri, São Miguel do Anta, Coimbra, Visconde do Rio Branco, Muriaé, Ubá, pelo Festival de Inverno de Mariana e também pela capital Belo Horizonte onde será parte da programação da Virada Cultural 2019.

A circulação e remontagem do espetáculo contam com o incentivo da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo de Minas Gerais em uma realização do Instituto ASAS  e Núcleo de Arte e Dança com patrocínio de Metalsider, Haskell, Amantino Supermercado, Viação União e Buffet Trigo Leve.