T.F.STYLE CIA DE DANÇA SE APRESENTA NO CRD-SP

blog-image
Compartilhe

Contemplados pela XX Edição do Fomento à Dança, a T.F.Style Cia de Dança convida pela terceira vez artistas que trabalham a partir de matrizes urbanas para debater, vivenciar e apresentar trabalhos nesta linguagem em São Paulo. O objetivo do grupo é ampliar o debate sobre o pensamento contemporâneo nas danças urbanas e aprofundar a pesquisa do seu novo espetáculo, com estreia prevista para o segundo semestre deste ano. Dessa vez, quem se apresenta com o T.F. Style é a Fragmento Urbano. Todas as ações são gratuitas, abertas ao público e acontecem entre 22 e 25 de março, no Centro de Referência da Dança de São Paulo (CRD-SP).

Nos dias 22 (quarta-feira) e 24 (sexta-feira), a Fragmento Urbano irá apresentar a intervenção urbana “Encruzilhada”, às 19h. Em seguida, às 20h, o T.F. apresenta o trabalho “Beco”, de 2014. Nesta mesma sexta-feira, as duas companhias irão promover um debate sobre danças urbanas às 15h. Todas as atividades acontecem no CDR-SP.

Para os dias 23 (quinta-feira) e 25 (sábado), a Fragmento Urbano dança “Breaking de Repente”, às 19h e o T.F. Style apresenta sua obra mais recente, “Sob a Pele”, às 20h. No sábado, as companhias compartilham seus processos de criação em workshop aberto, no CDR-SP, às 16h.

Fragmento Urbano é um grupo de dança que nasceu em 2009 da inquietude de jovens advindos da periferia da Zona Leste de SP que traziam como ponto de interesse comum a criação de espetáculos a

partir da linguagem das Danças Urbanas (Hip Hop) para intervenção urbana.​

Compreendendo a dança como um campo de pesquisa amplo e profundo, atualmente as pesquisas para criação se concentram na investigação de uma corporeidade periférica, afro-diaspórica, ameríndia, plural e potente.

 

Sobre Encruzilhada (Fragmento Urbano)

Encruzilhada é um espetáculo de dança de criação e pesquisa do grupo Fragmento Urbano. A dança traz à tona, através de uma linguagem experimental e contemporânea, uma discussão sobre a atualidade, a ressignificação da ancestralidade, os espaços urbanos e as relações sociais que os permeiam.

Ao resgatar manifestações populares que fazem parte de uma memória coletiva pouco celebrada, excluídas da narrativa hegemônica da História, e apresentá-las como recriações contemporâneas em zonas periféricas, o grupo propõe um ato de resistência - do(a) negro(a), da periferia, dos grandes mestres da cultura popular e do Hip Hop pouco reconhecidos.

O resgate da memória coletiva passa também pelo resgate das memórias pessoais de cada integrante do grupo (de suas histórias pessoais e de suas famílias) e resulta numa nova consciência corporal e política, com suas infinitas possibilidades.

 

Sobre Breaking de Repente (Fragmento Urbano)

Breaking de Repente é um espetáculo que aborda os gestos e as familiaridades da rotina cotidiana social nos grandes centros urbanos, através das danças urbanas, popping e locking.

Transitando entre ações cotidianas comuns como: caminhar, observar o tempo, procurar objetos, pegar transporte público etc., o espetáculo se propõe a quebrar a rotina da cidade ampliando a percepção do público para as relações cotidianas e para o cenário urbano.

 

Sobre Beco (T.F.Style)

O quanto nos conhecemos? Até onde vão os nossos desejos? O que quer nosso inconsciente?

O espetáculo busca refletir sobre o beco de cada um, sobre anseios individuais e coletivos.

O que move esse corpo sonhando ou acordado, aprofundando internamente em múltiplas vontades e refletindo metáforas de uma vida de aparências. Um universo onírico transformado em inconsciente coletivo, situado em uma noite qualquer; em uma rua qualquer; desta cidade. Repetição e reconfiguração de uma interpretação individual dos desejos coletivos.  Desejos provocados; desejos obscuros.

Noite; rua; cidade; muro; grafite. Elementos que inspiraram a criação desse espetáculo e servem como ambiente para que os desejos emanem. Cada um nos seus becos, com seus fones de ouvido, desenhando e colorindo sua história. Narrativas que carregamos; com marcas de um passado tatuado em nossas memórias. Recheado de cicatrizes que tentamos apagar suavemente.

 

Sobre Sob a Pele (T.F.Style)

Existo. E, na pele, minha existência concretiza-se em constante relação entre corpo e cidade. Pele. O maior órgão do corpo humano. Sensível ao toque e à temperatura. Por ela transpiro, sinto prazer, respiro. Nela carrego minhas memórias, lugar onde se imprimem marcas, cicatrizes. E o tempo. Protege meu interior, delimita minha relação com o ambiente. Quais sensações meu corpo percebe potencializadas pela cidade? Quais opressões, medos e angústias o ambiente urbano me proporciona? Esta obra busca refletir sobre as várias percepções sentidas, profundamente, sob a pele.

 

Sobre a T.F.Style Cia de Dança

O T.F.Style Cia de Dança investiga a Dança Urbana Contemporânea e pesquisa as possibilidades de exercitar um pensamento contemporâneo do hip hop. Esta investigação concentra-se em descobrir novas possibilidades corporais a partir de técnicas de diferentes danças urbanas, mas desenvolvendo um trabalho autoral, marcado por um percurso de investigação das sensações que estimulam esses corpos a partir da individualidade dos intérpretes. A pesquisa parte das danças urbanas, mas vai transformando suas bases, criando e modificando suas referências, desenvolvendo essa pesquisa particular.

O grupo T.F.Style teve início em 2002, sob direção de Igor Gasparini. A partir de 2007, com a direção artística de Frank Tavantti e com o desenvolvimento do elenco, surge o T.F.Style Cia de Dança, passando a existir enquanto companhia de dança na cidade de São Paulo. Em 2016 é contemplada pela XX Edição do Fomento à Dança da cidade de São Paulo e pelo Edital PROAC 2016 de Circulação de Espetáculos de Dança no Estado de São Paulo.

 

Serviço

 

Apresentações

22 e 24 de março, quarta e sexta-feira

19h – Encruzilhada (Fragmento Urbano)

20h – Beco (T.F.Style)

Duração total: 100 minutos

 

23 e 25 de março, quinta-feira e sábado

19h – Breaking de Repente (Fragmento Urbano)

20h – Sob a Pele (T.F.Style)

Duração total: 110 minutos

 

Debate Sobre Dança Urbana Contemporânea

24 de março, sexta-feira, às 15h

Duração: 90 minutos.

 

Vivência de Compartilhamento de Processos de Criação

25 de março, sábado, às 16h.

Duração: 120 minutos.

 

Local: Centro de Referência da Dança de São Paulo (Galeria Formosa - Baixos do Viaduto do Chá, s/n - Centro, São Paulo - SP, 01037-000)

Classificação: Livre.

Grátis.