MEU AMIGO BAILARINO

blog-image
Compartilhe

Preocupada em transformar a realidade e ampliar o acesso à arte por meio da dança e da cultura da inclusão em instituições como casas de repouso, instituições de assistência a deficientes, hospitais, abrigos, entre outras instituições beneficentes, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), mantida pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, sob direção de Inês Bogéa, criou o projeto Meu Amigo Bailarino, que terá início em janeiro de 2017. “ A Balletto quer levar a conscientização e reconhecimento da dança como arte. Através dela, podemos descobrir novas possibilidades e reaprender a sonhar. Buscamos apoiar a cena cultural e projetos que possam dar acessibilidade a todos através da dança”, pontua Luciana Mantegazza, diretora criativa da Balletto, que apoia o projeto.

A ação, que leva trechos de coreografias da Companhia e/ou bailarinos vestidos como grandes personagens de balés clássicos a instituições assistenciais, tem estreia marcada para o dia 26 de janeiro, às 15h, na Casa da Criança Betinho, na zona leste da capital paulista, que atende crianças com paralisia cerebral e outras deficiências.

”A São Paulo Companhia de Dança tem um trabalho de dança além dos palcos que fortifica o nosso pensamento de que se pode dançar de muitas formas. O Meu Amigo Bailarino é mais uma ação nesse sentido, que também amplia as nossas ações de acessibilidade e agora leva a SPCD para dentro desses espaços”, fala Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança.

Além da Casa da Criança Betinho, a São Paulo já tem agendado o projeto Meu Amigo Bailarino na Casa Madre Teodora de Idosos, no dia 6 de fevereiro, às 15h00 e no dia 11 de março, às 10h00. Outros espaços também serão atendidos pelo projeto ainda em 2017, como Lar Batista, Casa Ronald McDonald, Casas André Luis de Longa Permanência e Fraternidade Irmã. Instituições também podem solicitar a atividade pelo educativo@spcd.com.br.