Festival de Dança do Litoral Oeste

blog-image
Compartilhe

Com espetáculos e homenagens 11º Festival de Dança do Litoral Oeste segue com programação até sábado (03/08)

 

O festival recebeu a coreógrafa e professora Isabel Marques (SP) na manhã de quinta-feira, no Galpão da Cena, em um diálogo sobre “dança e narrativas de engajamento – dançar Paulo Freire”

Com espetáculos, homenagens e ações formativas com profissionais e mobilizadores da dança no interior do Ceará, segue até sábado, 3 de agosto, em Itapipoca, o 11º Festival de Dança do Litoral Oeste, que teve início na segunda-feira, dia 29. Toda a programação é gratuita.

Depois do diálogo sobre “Dança e narrativas de engajamento – dançar Paulo Freire”, conduzido pela manhã no Galpão da Cena por Isabel Marques, diretora e coreógrafa da Caleidos Cia de Dança, de São Paulo, a programação desta quinta-feira, dia 1º, será marcada pela homenagem à Cia Balé Baião, que celebra 25 anos com uma exposição de fotografias e lançamento do livro “Dançar territórios de reinvenção”, uma produção coletiva da Escola Livre Balé Baião com apoio da Secretaria de Cultura do Ceará. Na sequência, a companhia, fundada há 25 anos em Itapipoca por Gerson Moreno, apresenta “Pátria sertaneja, a dança do corpo rebelde”, remontagem do espetáculo criado em 1997.A programação acontece a partir das 19 horas no Círculo Operário, encerrando com o show dos Tambores Afro Baião.

 

FIM DE SEMANA

Na sexta-feira a programação continua com o Fórum sobre “A Cultura vive”, tema desta edição do Festival. Será às 9 horas no Galpão da Cena. É lá também que a partir das 19hacontecem os espetáculos de “Yugo” – Nodo Yara (Côlombia/Fortaleza), “Implosão sob peles”- Grupo BitZero (Fortaleza), “Graça” - Cia da Arte Andanças (Fortaleza) e “O meu coco é a cor da minha gente” – Grupo Balanço do Coqueiro (Itapipoca). A noite será também de homenagem à coreógrafa e pesquisadora Andrea Bardawil e os 30 anos da Cia Andanças.

O festival termina no sábado com espetáculos a partir das 20 horas na Praça da Matriz. Será também noite de homenagem à primeira coordenadora pedagógica do Festival de Dança do Litoral Oeste, a bailarina e gestora cultural Cláudia Pires, que festeja 25 anos de dança. No palco da praça apresentam-se a Escola de Dança de Paracuru, Arreios Cia de dança (Trairi), Cia Balé Baião, Grupo de Dança Rede Cuca (Fortaleza) e a banda Dona Zefinha encerra esta edição com o show “Da Silva elhijo de las américas”.

Realizado de 29 de julho a 03 de agosto em Itapipoca, o 11º Festival de Dança do Litoral Oeste é uma realização da Associação de Artes Cênicas de Itapipoca (AARTI), Associação Dança Arte e Ação, de Paracuru, e Associação de Dança Arreios, de Trairi, com a consultoria executiva da Quitanda das Artes. Tem o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), Prefeitura Municipal de Itapipoca, via Secretaria de Cultura e Turismo, Ponto de Cultura Galpão da Cena, CETRA e Círculo Operário de Itapipoca. Coprodução: WM Cultural.Agradecimento: Enel.

 

Ajude-nos a manter o trabalho da Dança Brasil

O jornalismo acompanha e divulga a arte da dança.

Está a serviço da arte da dança e da diversidade de opinião.

Há 27 anos Dança Brasil exercita o jornalismo transparente, fiel à verdade factual, atenta a diversidade cultural na area da dança.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores.

Faça parte da Dança Brasil assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica.

A arte da dança agradece.

Clique no link abaixo e faça sua assinatura anual apenas R$ 55,00

https://www.paypal.com/webapps/hermes?token=32F02702HK5524050&useraction=commit&mfid=1553687958902_64c5971e79a3b