Ensaio Aberto

blog-image
Compartilhe

Praça das Artes recebe exposição “Ensaio Aberto”, de Luiza Gottschalk, com curadoria de Ana Paula Cohen

Reunindo pinturas inéditas da artista, exposição propõe ativar o espaço expositivo da Praça das Artes com ensaios de dança clássica e contemporânea

Abertura da exposição com ensaio aberto: 12 de novembro, às 19hs

Entre 13 de novembro e 17 de dezembro de 2019 acontece na Praça das Artes, em São Paulo, a exposição “Ensaio Aberto”, individual da artista Luiza Gottschalk em conversa com a curadora Ana Paula Cohen. Realizada na Sala de Exposições do complexo cultural, no edifício da atual sede da Escola de Dança de São Paulo, a exposição cria um espaço de inter-relação entre artes visuais e cênicas (dança, teatro e música) partindo de pinturas inéditas desenvolvidas pela artista e da criação de uma coreografia, elaborada junto a um grupo de bailarinos no decorrer das cinco semanas de exposição.

Serão apresentadas pinturas inéditas de grande escala, feitas a partir de uma técnica desenvolvida pela artista recentemente. Usando pigmento e água sobre dois tecidos sobrepostos, os trabalhos são posteriormente separados, criando assim desdobramentos não idênticos de uma mesma imagem. Na Sala de Exposições da Praça das Artes, tombada pelo seu valor histórico, as obras contam com expografia desenvolvida pela curadora e pela artista em parceria com o arquiteto Tito Ficarelli, do arkitito.

Acompanhando a instalação de pinturas, a artista propõe ativar a exposição com uma coreografia inicial criada por Emilio Rogê a partir da pintura “A boneca de lata”, de 2015. Os ensaios, acompanhados por um grupo de dançarinos – formado por convocatória aberta em escolas de dança –, serão realizados durante as cinco semanas de exibição, duas vezes por semana, e seguidos por ensaios abertos com discussão sobre a coreografia. Todo o processo acontecerá no espaço de exposição, nos períodos em que estará aberto ao público.

Nestes encontros, a relação do público com as pinturas será tanto contemplativa quanto ativada pela experiência da dança, da música e dos espelhos instalados no espaço. Os dançarinos estenderão a coreografia inicial junto ao coreógrafo e à artista, a partir de relações estabelecidas no embate com as pinturas apresentadas, de forma que cada dia de trabalho seguido de ensaio aberto e discussão seja usado como material disparador para o próximo ensaio. O primeiro ensaio aberto será no dia da abertura da exposição, dia 12 de novembro, às 19hs.

Luiza Gottschalk Pesquisa a relação entre pintura e espaço dramático, trabalhando a intersecção de linguagens como a pintura, o teatro e a dança. Foi artista criadora da companhia de Teatro Os Satyros e Satyros Cinema, onde trabalhou de 2008 a 2018, atuando como atriz, cenógrafa, produtora, diretora e educadora em 48 trabalhos dentro da Companhia. Fez sua primeira exposição individual como artista visual, Acidente, na Estação Satyros (2016). Participou das 46º, 47º e 49º Anual de Arte, na FAAP, São Paulo, ganhando segundo e terceiro prêmios. É formada em Artes Cênicas (2002) pelo Teatro-Escola Célia Helena, graduada em Artes Plásticas (2014) e pós-graduada em Artes Visuais (2018) pela FAAP.

Ana Paula Cohen é curadora independente, editora e escritora. Foi curadora residente do Center for Curatorial Studies – CCS, Nova York; co-curadora da 28ª Bienal de São Paulo; e co-curadora do Encuentro Internacional de Medellín – MDE07, na Colômbia. Recentemente curou exposições como: Embodied Archeology of Architecture and Landscape, no Tel Aviv Museum, Israel, e On Cohabitaon: films by Yael Bartana, no Banff Centre for the Arts, Canada. Cohen foi co-diretora do PIESP – Programa Independente da Escola São Paulo; professora visitante no programa de mestrado do California College of the Arts, em San Francisco, Estados Unidos; e diretora do Programa para artistas Bolsa Pampulha, 4ª edição, em Belo Horizonte. Atualmente é coordenadora da Pós-graduação em Estudos e Práticas Curatoriais, que criou na FAAP, e doutoranda no Núcleo de Estudos da Subjetividade, na PUC, em São Paulo.

Emílio Rogê é diretor de teatro certificado pela SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Atua como diretor de teatro e encenador, coreógrafo e arte-educador. É fundador e diretor artístico do Ínfimo Teatro. Dirigiu, ao lado de Luiza Gottschalk, o espetáculo [ENTRE], peça percurso que cumpriu temporada na Escola Estadual Alarico Silveira (2019), e coreografou o espetáculo circense Queerbaret, dirigido por Luh Maza e criado especialmente para o Festival Internacional de Circo da Cidade de São Paulo (2019). Na Cia de Teatro Os Satyros, dirigiu e assinou a dramaturgia do espetáculo Hora de Brincar e foi coreógrafo dos espetáculos Pink Star e Cabaret Trans Peripatético (2017/2018). Mineiro, vive e trabalha na cidade de São Paulo desde 2016.

 

Quando e Onde

Abertura: 12 de novembro, das 19h às 21h

Visitação de 13 de novembro a 17 de dezembro de 2019 – terças a sábados, das 11h às 19h.

Ensaios de dança no espaço de exposição: terças-feiras às 17h e às 19h; sábados às 15h e às 17h.

Dias de ensaio: 19, 23, 26 e 30 de novembro, 03, 07, 10 e 14 de dezembro de 2019.

Entrada franca

Praça das Artes, sala de exposições

Endereço: Rua Conselheiro Crispiniano, 378 – São Paulo, SP, CEP 01037-000

Telefone: 55 11 4571 0401

 

Ajude-nos a manter o trabalho da Dança Brasil

Nosso jornalismo acompanha e divulga a arte da dança.

Está a serviço da arte da dança e da diversidade de opinião.

Há 27 anos Dança Brasil exercita o jornalismo transparente, fiel à verdade factual, atenta a diversidade cultural na area da dança.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores.

Faça parte da Dança Brasil assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica.

A arte da dança agradece.

Clique no link abaixo e faça sua assinatura anual apenas R$ 55,00

https://www.paypal.com/webapps/hermes?token=32F02702HK5524050&useraction=commit&mfid=1553687958902_64c5971e79a3b