Corona Virus e as Pedras no Caminho

blog-image
Compartilhe

Corona Virus e as Pedras no Caminho

A dança não é um lugar confortável e, no geral pessoas de expressão viram uma vidraça — e a agressividade das pedras pode ser insuportável, ou então as pedras só batem em quem já está derrotado aos olhos da maioria. 

Existem vários tipos de pedras - as que vivem batendo em vidraças e as que se refugiam em cima do muro, em uma falsa neutralidade.
As pedras tem medo de desagradar aos poderosos, medo de dar a cara a tapa, medo de enfrentar a polarização, medo de serem punidos para a quem trabalham.

Em plena pandemia de corona virus e na porta de uma recessão econômica mundial, muitos ainda parecem não ter consciência de seu valor, não estão comprometidos com a ética e, não conseguem serem livres da escravidão imposta por seus pares que ainda enxergam apenas o próprio umbigo, tentando empilhar mais pedras ao seu redor, criando muros.

É claro que ao seguir seu caminho no mundo da dança, você vai ver que está cheio de pedras. É claro que existem pedras demais para atrapalhar você a chegar até onde você quer, mas isso não significa que você deva desistir – muito pelo contrário.

Você deve persistir. Você deve continuar, você deve ir além!

Pule, desvie dessas pedras, mude para uma rota alternativa se as coisas ficarem pesadas demais, mas não desista do que você quer. É muito fácil desistir – para desistir você não precisa nem sair do lugar, nem precisa tentar.
Quer coisa mais deprimente do que isso? Você pode fazer mais, então, faça mais!
 A dança é para aqueles que persistem, aqueles que vão até o fim por seus sonhos. Você sonha com a dança, então, tente de novo e de novo até que você se torne vidraça.