Bento em dança anuncia fim das atividades

blog-image
Compartilhe

Após 25 anos  um dos mais expressivos festivais de dança do sul do país anunciou que a edição 2017 foi a última. Segundo a presidente do Bento em Dança, Erci Grapiglia - Chegou a hora de eu parar. Dediquei 25 outubros da minha vida, deixando minha família de lado, para promover o nome de Bento Gonçalves. Me aborreci demais neste ano, não posso acreditar que a prefeitura não tenha verba para um evento do porte do Bento em Dança, que promove a cultura e o turismo da cidade. Depois que anunciei o fim, prefeitos de outras cidades vieram me procurar com a possibilidade de levar o festival para outros lugares, mas não sei, meu coração está partido. A pressão das escolas está muito grande também, as professora vêm falar comigo chorando, é muito triste. Se as luzes do palco do Bento em Dança se apagarem, não é por desejo nosso, mas simplesmente pela falta de incentivo”.– disse Erci. Com inicio em 1992 o Bento em Dança se tornou destino indispensável para a comunidade da dança do Sul do país e para diversos grupos do Brasil; por lá já passaram cerca de 140 mil bailarinos. A 25 edição do festival foi orçada segundo a organização em cerca de 500 mil reais com financiamento da Lei Rouanet, mas o apoio das empresas está cada vez mais difícil. Além disso, a verba que viria da prefeitura da cidade acabou suspensa nesta edição entre outros motivos, devido a forte crise econômica que assola o país. Nesta edição das 627 coreografias inscritas na competição cerca de 300 delas nos gêneros Clássico de Repertório e Neoclássico e Clássico Livre reúne o maior número de inscrições em seguida Jazz, Estilo Livre, Técnicas Contemporâneas de Dança, Danças Populares, Danças Urbanas e Sapateado completam a relação de gêneros da dança, onde participaram cerca de 6mil bailarinos, mas mesmo com estes números a conta não fecha.
“Nesses 25 anos, ajudamos a transformar alunos em grandes bailarinos, viabilizamos intercâmbios que transformaram a vida de muitos estudantes e promovemos a dança como uma expressão artística. E fizemos tudo isso por amor à arte, por compreender que através da dança é possível comunicar, emocionar, interagir”, finaliza Erci Grapiglia.