BALLET FEITO SOB MEDIDA

blog-image
Compartilhe

Com 18 anos de carreira prifissional, o bailarino e professor cubano Luis Ruben Gonzalez não abre mão da disciplina e do profissionalismo, mesmo quando se trata de bailarinos amadores que começaram a dançar na idade adulta. Para ele, bons resultados só são alcançados quando o aluno é encarado com respeito. “É preciso entender a individualidade de cada um e o motivo que levou essa pessoa a estar em sala de aula”, destaca o bailarino.

 

Luis Ruben é o primeiro convidado da série de workshops do projeto de ballet adulto Bailarinas Por que Não?!. “Começamos com o pé direito!”, afirma Cláudia Bengtson,  jornalista idealizadora do programa  iniciado há quase dois anos e nascido de um sonho guardado desde a infância. “Poucas são as oportunidades com essa qualidade técnica para os bailarinos que começaram a dançar mais tarde”, enfatiza.  

“Nossa intenção é agregar cada vez mais ao trabalho que fazemos em sala de aula, sempre observando que o aluno se sinta à vontade para ter novas experiências e crescer como bailarino adulto ”, explica Adriana Palowa, diretora artística e parceira de Cláudia no projeto.

 

SEM PRESSA – A oficina, dedicada a bailarinos adultos de níveis iniciante e intermediário também inclui aulas de pas de deux. Cada turma terá três horas de aula, distribuídas entre os dias 22 e 23 de julho. “Será um fim de semana

de muita alegria para mim”, destaca Luis Ruben, que se diz muito feliz e empolgado com o convite para trabalhar com o projeto.

“Uma das características positivas do adulto é que ele tem muita consciência corporal. Talvez, não tenha tanta facilidade fisicamente, ou tenha menos facilidade do que uma criança, mas ganha em consciência corporal. Então, quero levar essa minha forma de trabalhar, de ver a dança do pouquinho- pouquinho, levando os detalhes para aprimorar o entendimento de como executar tecnicamente um passo”, explica o bailarino.

 

Nascido em Santa Clara, Luis Ruben Gonzalez começou a dançar aos 9 anos de idade. Em 1999, de posse do diploma de bailarino-professor pela Escola Nacional de Ballet de Havana, ingressou na Companhia de Ballet Clássico de Camaguey e se tornou primeiro bailarino do grupo. Ao longo de sua carreira, trabalhou ao lado de várias personalidades do mundo da dança, como Ivan Alonso, de Cuba; Márcia Rolon, do Brasil; Irene Schneider, da Alemanha; Li Yamin, da China; Ciril Atanassof, da França, e Rose, da Espanha.

A vinda para o Brasil aconteceu por uma manobra do destino. “É uma história meio engraçada. Fui casado com uma brasileira que foi me tietar num espetáculo de Dom Quixote em Cuba. A gente se apaixonou e se casou em Cuba. Mais tarde, ela se formou e não tinha como ficar lá. Aí, a gente decidiu vir para o Brasil”, conta o bailarino.

Depois de passar por Alagoas e Maceió, Luis Ruben se encantou com Recife, onde mora desde 2006.  Dois anos mais tarde, ele fundou sua própria escola de dança, a Ballet Gonzalez. “Já no final de 2010, comecei a ver os frutos do meu trabalho; a ter os meus pupilos na dança”, continua.

BIOTIPO – O sucesso de Luis Ruben no Brasil, além de seu talento e qualidade técnica, está diretamente ligado ao fato de cubanos e brasileiros serem bastante parecidos.  “Tive a facilidade de ter me formado na Escola Cubana. Fernando e Alicia Alonso desenvolveram , por meio de pesquisas e viagens, e estudando outros métodos como o russo, a metodologia adaptada ao corpo cubano, que é muito parecido com o corpo brasileiro. Por  isso, acho que o método cubano no Brasil tem muito mais resultado do que métodos como o Vaganova e o próprio Royal, que são específicos para biotipos desses lugares”.

Em se tratando de ballet adulto, Ruben garante que o maior desafio é atingir as expectativas de cada aluno e o maior prazer é ver a mudança que o ballet faz na v ida dessa pessoa. “É muito importante e gratificante para o professor atingir o aluno individualmente, sem expectativas de um grupo profissional; sem expectativas de ser tecnicamente, artisticamente perfeito. Estou muito feliz; muito empolgado de trabalhar com o Projeto Bailarinas Por que Não?! porque o público adulto está em sala de aula porque quer, porque ama, porque quer compartilhar sentimentos; são pessoas que estão ali não por que são forçadas por uma mãe ou por uma hierarquia de dança. Estou literalmente contando os dias para trabalhar com eles e espero que possa suprir as expectativas. Quero que seja uma troca bacana”, conclui Luis Ruben.

SERVIÇO:

I Workshop de Ballet Adulto Bailarinas Por que Não?!

Com o professor e bailarino cubano Luis Ruben Gonzalez

Dias 22 e 23 de julho, para níveis iniciante, intermediário e pas de deux

Informações pelo email secretaria@bailarinasporquenao.com ou pelo fone (61) 98299 3402

VAGAS LIMITADAS!