‘Mateus’, da Cia Gelmini

blog-image
Compartilhe

Sesc Copacabana recebe a estreia de ‘Mateus’, da Cia Gelmini

Espetáculo é o último da trilogia composta também pelos aclamados “Toque” e “Fauno”

RIO DE JANEIRO - A Cia Gelmini, do diretor Gustavo Gelmini, estreia nesta quarta-feira (5/6), no Sesc Copacabana, o último espetáculo da trilogia do Homem Contemporâneo, iniciada com os aclamados “Toque” (2017) e Fauno (2018). A terceira peça é “Mateus”, uma investigação sobre a relação da contemporaneidade com o cristianismo, tratando de questões que cercam a culpa, espiritualidade e transcendência. Serão cinco sessões, às 20h, com ingressos entre R$ 7,50 (Cartão Sesc) e R$ 30.

Desta vez com os bailarinos-criadores Fernanda Sant’Ana e Leandro Vieira, o espetáculo parte da ontologia e do sentido trágico da imanência para pesquisar composições de movimento que tratam a relação do corpo com o momento presente, a fim de criar tensões entre o conceito de identidade e semelhança, e estabelecer relações com o tempo em sua horizontalidade entre intérprete, público e espaço.

Com música original e mixagem do percussionista francês Cyril Hernandez, luz de José Geraldo Furtado, inspirada nas obras cinematográficas de Andrei Tarkovski, e cenário concebido pelo artista catalão Sergi Arbusà, Mateus propõem uma experiência de sensações ao espectador que articulam na fronteira do conhecimento entre a filosofia e o movimento.

 

Quando e Onde...

“Mateus” – da Trilogia do Homem Contemporâneo

Datas e horários: 05 a 09 de junho, 20h

Local: Mezanino  do Sesc Copacabana

Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, Rio de Janeiro - RJ

Ingressos: R$ 7,50 (associado do Sesc), R$ 15 (meia), R$ 30 (inteira)

Informações: (21) 2547-0156

Bilheteria - Horário de funcionamento:

Terça a Sexta - de 9h às 20h;

Sábados, domingos e feriados - das 12h às 20h.

Classificação indicativa:  16 anos

Duração: 50 minutos

Lotação: 60 lugares

Gênero: Dança

 

SOBRE A CIA GELMINI

Gustavo Gelmini é diretor artístico da Cia Gelmini de Dança, residente no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro e no Le Centquatre-Paris, realiza trabalhos com relação de dramaturgia interdisciplinar entre a dança e outras áreas da arte e conhecimento. Criou e dirigiu:

- Espaço Tempo Movimento (2016), sobre a relação entre dança, imagem e física moderna, patrocinado pela Secretaria Municipal do Rio de Janeiro e exibido no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro e no Sesc Pinheiros na Virada Cultural de São Paulo.

- Toque (2017), com a música do performer multimídia Cyril Hernandez e o movimento urbano do bailarino e coreógrafo Renato Cruz, a partir de residência artística no Le Centquatre-Paris com suporte do Instituto Francês/Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e realização do Sesc.

- Fauno (2018), com os bailarinos Tiago Oliveira e Mônica Burity, relacionando mitologia, filosofia e artes visuais, através da participação do artista plástico espanhol Sergi Arbusà.

Espaço Tempo Movimento e Toque foram selecionados em 2016 e 2017, respectivamente, entre os melhores espetáculos de dança pela crítica especializada do jornal O Globo. A Trilogia do Homem Contemporâneo teve seus dois primeiros trabalhos (Toque e Fauno) com estreia nacional em temporada de 3 semanas no Sesc Copacabana em 2017 e 2018. Toque foi apresentado no Le Centquatre-Paris em 2017 e 2018, Bienal de Dança do Ceará e Casa Munganga em Amsterdam. Fauno venceu o prêmio Cesgranrio 2018-2019 na categoria Melhor Bailarino (Tiago Oliveira).

Atualmente, Gelmini prepara, além de “Mateus”, outros dois espetáculos. Um deles é “Casa”, com Paulo Marques, com estreia em 26 de junho no Teatro Cacilda Becker. O outro é “Cosmophonies”, parceria da Cia Gelmini com a Cia francesa La Truc. A estreia será em novembro de 2019 no Scène Nationale de L’archipel, em Perpignan, França, com o apoio do Instituto Francês do Brasil.

 

Muito obrigado por ter chegado até aqui...

... Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho da Dança Brasil

O jornalismo vigia a arte da dança. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da arte da dança e da diversidade de opinião. Há 27 anos Dança Brasil exercita o jornalismo transparente e o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta a diversidade cultural na area da dança.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Faça parte da Dança Brasil assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A arte da dança agradece.

Clique no link abaixo e fa;a sua assinatura anual apenas R$ 55,00

https://www.paypal.com/webapps/hermes?token=32F02702HK5524050&useraction...