É na Batida

blog-image
Compartilhe

O ritmo do Passinho, oriundo das favelas cariocas, da Lagartixa, criada em São Paulo, e do break, cuja origem remete ao bairro do Bronx, em Nova York, inspiram o espetáculo “É na Batida”, novo projeto do dançarino e coreógrafo Rodrigo Vieira, que foi desenvolvido através do patrocínio de O Boticário na Dança e é resultado de oficinas e ocupações realizadas nas periferias da Zona Norte de São Paulo e pesquisas nas favelas cariocas. As apresentações acontecerão de 23 de novembro a 3 de dezembro na Galeria Olido (Av. São João, 473), sendo às quintas, sextas e sábados às 20h e aos domingos às 19h, e em seguida, nos dias 9 e 10 de dezembro, às 20h, na Casa Palco (Rua 13 de Maio, 240 – 2º andar). Além disso, no dia 16/12, às 20h, será exibido o filme “A Batalha do Passinho”, juntamente com um bate-papo com o cineasta Emilio Domingos e os dançarinos Cebolinha e Celly Idd.

O trabalho se propõe também a traçar novas parcerias e novos caminhos para a produção cultural e artística na cena da dança.

A estética de rua e dos bailes onde surgiram essas coreografias compõem uma narrativa singular de cada linguagem. O “É na Batida” une elementos de outras danças, como samba, frevo e hip hop, e é apresentado por nove dançarinos entre 18 e 35 anos que vivem em periferias - sendo cinco do bairro paulistano do Jova Rural (Jaçanã) e quatro de diferentes comunidades cariocas: Macacos, Vila Isabel, Cidade de Deus e Penha.